A notícia acontece, a gente informa

Advogado detido por ordem de Lewandowski afirma: “É uma luta de Davi contra Golias”


O advogado Cristiano Caiado Acioli tornou-se uma figura conhecida nacionalmente nesta terça-feira (5) após dizer, em um voo de São Paulo a Brasília, ao ministro Ricardo Lewandowski que o “Supremo [Tribunal Federal] é uma vergonha nacional”. O vídeo acabou viralizando nas redes sociais, sendo o caso mais recente do abuso de autoridade constantemente denunciado no país.

Cristiano Caiado Acioli. (Foto: Reprodução / Facebook)

Assim que o avião pousou, Acioli, 39 anos, foi levado para a Superintendência da Polícia Federal no aeroporto de Brasília para prestar esclarecimentos. Acabou detido até à noite.

Após ser solto, afirmou ao Correio Braziliense que se considera vítima de abuso de autoridade e irá lutar para que o magistrado que ordenou sua condução seja punido de alguma forma. Contudo, sabe que dificilmente terá sucesso: “É uma luta de Davi contra Golias”.

“Vamos estudar todas as medidas, mas é uma luta desigual. É de um cidadão contra um ministro do Supremo. E a Corte fará de tudo para se proteger. Não tem ninguém acima deles, e eu não sou ninguém”, lamenta.

Sobre sua detenção, Acioli explicou: “Fui conduzido sem ter crime. Não foi me dado uma opção. E eu tive cuidado de me manifestar de forma educada. Além disso, o ministro é uma pessoa pública, ele jamais poderia reagir daquela forma, ele abusou do poder, do cargo. É uma situação inadmissível”.

Contou ainda que tentará pedir o impeachment de Lewandowski. “Essa vai ser minha meta. Pode não dar certo? Pode. Mas eu acho que, agora, tenho de ir até o fim”, destaca. “Uma pessoa pública deve estar disposta a ouvir críticas. O cidadão tem o direito de sentir vergonha, orgulho. Ainda mais quando você se refere a um ente não vivo, como o STF”, encerrou.

Fonte: Gospelprime


// Você deve estar logado com seu perfil no Facebook para comentar. Este espaço visa promover um bom debate sobre o assunto tratado. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser excluídos.
Participe!