A notícia acontece, a gente informa

O NOVO SENTIDO DE IGREJA


Donizete Carmelo Silva

Oficialmente há elementos que diferenciam a definição, por exemplo, entre Igreja, Oratório e Capela. Portanto, Igreja, ao contrário do que muita gente pensa e insiste em propagar como verdade absoluta, não é somente o prédio onde comumente chama de Igreja matriz. Na verdade, no Código de Direito Canônico vigente para a Igreja Ritual Latina encontramos a reestruturação dessa matéria, dispondo assim uma nova e mais lógica classificação. Certamente, com esta nova normativa vigente é possível distinguir as diferenças entre Igreja e suas diversas denominações, Oratório e Capela. Mas, o que precisa ser feito para colocar em prática esta normativa inclusa no Direito Canônico?

Neste contexto, podemos compreender que Igreja é a comunidade que se reúne num determinado templo dedicado a uma divindade celeste ou santo canonizado. Assim, o que caracteriza uma Igreja é o direito de todos os fieis de ali adentrar para as celebrações públicas. De fato, a finalidade principal pela qual se constrói uma Igreja é aquela de ali poder fazer a celebração publicamente. Por outro lado, é muito comum ouvirmos a expressão Capela designando as Igrejas que estão dentro de um território paroquial, para distinguir-se da Igreja matriz  da Paróquia.

Também, neste prisma, o nome de Capela é usado, habitualmente, aos que nesta nova denominação devem ser denominados Oratórios presentes em unidades militares, colégios, hospitais, hospícios, seminários, etc. Mas, juridicamente, conforme cân. 1226, a denominação de Capela Privada é o lugar destinado para culto divino em favor de uma ou mais pessoas físicas. Assim, para realizar-se missa ou outras celebrações litúrgicas na Capela, há a necessidade de autorização por parte da competente autoridade eclesiástica responsável pela aquela localidade.

Resumidamente, dentro da normatização do Catolicismo, entender que:

– Igreja, legitimamente edificada e benta, é quando os fiéis, sem distinção, tiverem o direito de utilizar e de realizar todos os tipos de culto, salvo os direitos paroquiais.

– Oratório, devidamente autorizado, é quando o seu uso para fins de culto divino for destinado a uma determinada comunidade ou a um determinado grupo de fieis.

– Capela, que agora passa ser privada, é quando o direito de uso para culto divino, com aprovação do Ordinário local, for a favor de uma ou mais pessoas físicas determinadas.

A partir disso, romper um costume enraizado na cultura da população é realmente difícil.  Porém, é preciso ter coragem de colocar em prática esta nova normatização. Não se pode ficar no que é mais fácil, e sim o que é certo nesta construção da Igreja viva, fraterna e participativa. Melhor dizendo, na estrutura da vida de um povo que busca viver em comunhão com Cristo com os preceitos da Igreja.

*Donizete escreve este como observador político*


// Você deve estar logado com seu perfil no Facebook para comentar. Este espaço visa promover um bom debate sobre o assunto tratado. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser excluídos.
Participe!