Araguaiense Clóvis Irigaray, um dos maiores artistas de Mato Grosso, morre aos 72 anos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Clóvis Irigaray morreu aos 72 anos em Cuiabá — Foto: Divulgação

 

O artista plástico Clóvis Irigaray, 72, morreu neste sábado em Cuiabá. De acordo com as informações da família, ele morreu enquanto dormia. A filha do artista afirmou que a morte ocorreu de forma repentina. Segundo ela, o pai estava bem nesta sexta-feira.

A morte do artista repercutiu no meio artístico do Estado. Membro da Academia Mato-grossense de Letras, o advogado Eduardo Mahon prestou homenagem a Irigaray nas redes sociais.

“Irigaray foi a maior expressão de sua geração. Do realismo ao expressionismo, do abstrato à arte pop, Clovito fez dele mesmo um objeto artístico”, postou Mahon.

Biografia

Natural de Alto Araguaia (MT), Clóvis Irigaray é um dos artistas que mais representa a gênese da pintura moderna em Mato Grosso ao lado de nomes como Humberto Espíndola, João Sebastião e Dalva de Barros.

Com um currículo primoroso, Irigaray já participou da Bienal de São Paulo, Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro e o Panoramas das Artes de Mato Grosso, no Museu de Arte e Cultura Popular da UFMT, entre vários outros espaços culturais.

Em 2013 foi nomeado Embaixador das Artes pela Academia Francesa de Artes, Letras e Cultura e também foi convidado para expor seu trabalho no Museu do Louvre, em Paris, um dos maiores e mais conceituados do mundo.

“Irigaray não se apresenta, ele é presença e presente. Hiper-realista, recria realidades, expressa desejos, denuncia transtornos. É mesmo a gênese da pintura moderna em Mato Grosso”, enfatiza o crítico de arte Serafim Bertoloto.

 

Fonte: Folhamax

Shopping Basket
%d blogueiros gostam disto: