PERUCHI
Notícias

Ascensão dos emergentes

Por Donizete Carmelo Silva*

 Donizete Carmelo Silva
Donizete Carmelo Silva

                  

A ascensão dos emergentes é apenas uma questão de probabilidade e de anseio de parte dos eleitores por mudança da forma de administrar. Os adeptos deste grupo também estão cientes de que a verdadeira intenção de voto é aquela depositada na urna. No entanto, a menos de catorze meses da próxima eleição, é possível vislumbrar alguns cenários no município de Alto Araguaia, a 415 km da Capital, que poderão revelar mudanças no gerenciamento da cidade, além de alimentar o sonho de lançar um nome da região do Araguaia com chance de êxito na eleição para deputado. Entretanto, o desafio é obter o consenso entre as lideranças que pensem apenas no que é melhor para a coletividade, sem descartar o que é de melhor na cidade. Porém, a sede pelo poder poderá macular a luta dos emergentes e tirar de cena algumas lideranças que estão buscando um lugar ao sol.

                  Nesta perspectiva, o atual momento Federal e Estadual poderá apimentar ainda mais as discussões sobre se valerá a pena ou não mudar a forma de administrar o município. Na “boca do povo” surge um bom nome no PSD que poderá encabeçar uma chapa com alta possibilidade de êxito. Porém, apesar deste ser um dos vereadores mais atuante, os antagonistas acreditam que ele ainda não está pronto para assumir o executivo. Para contrapor esta afirmação, ele terá até o período das convenções municipais para demonstrar a capacidade de agregar forças e manter a unidade dentro do seu próprio partido, além de costurar uma aliança propositiva com o PMDB, os Democratas, o Solidariedade, entre outros partidos. Por outro lado, o atual Prefeito, atualmente no PR, é um forte nome que poderá concorrer para conquistar o seu quinto mandato. Para uns, o atual prefeito é a única estrela que não deixará o município sucumbir no vislumbrado colapso financeiro que poderá durar de um a dois anos. A sua reeleição é possível acontecer com certa facilidade se houver o apoio e o empenho do PR, PT e do PMDB. Para alguns, se esta estrela não brilhar dificilmente a sigla do PR sairá como cabeça de Chapa, no máximo como Vice. Enquanto no Legislativo deverá ter um equilíbrio de força entre os Dominantes e os Emergentes, com representação de diversos partidos, como PT, PR, PMDB, PSD, PDT, Solidariedade, Democratas e PTB.

                        Finalizando, este cenário é apenas uma hipótese das diversas probabilidades que poderão ocorrer à ascensão de pelo menos alguns Emergentes. Portanto, com a atual regra do jogo, nada é definitivo na política, tudo é possível de mudança no atual cenário. Mas, o sucesso ou fracasso de uma candidatura vai depender da postura que os candidatos e os partidos deverão trabalhar desde já, principalmente com os seus filiados e simpatizantes.  De uma forma ou de outra, os emergentes vão conquistar o direito de sonhar e lutar pela comunidade onde vivem e para o desenvolvimento da cidade.

*Donizete escreve este como observador político*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar