PERUCHI
Notícias

Loteamento Vista do Araguaia passa por avaliação de impacto arqueológico

sam_0413
FOTO ASSESSORIA

Alto Araguaia, MT – O processo de implantação do Loteamento Municipal Vista do Araguaia, no município de Alto Araguaia, está em face de concluir mais uma etapa. A última para emissão dos documentos e entrega aos contemplados os autorizando a iniciar as obras de construção. Trata-se da realização do Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico autorizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Durante toda essa semana foram realizados estudos arqueológicos na área de 60 hectares do loteamento, além de levantamento histórico da cidade. O trabalho é desenvolvido pela Fundação Aroeira, de Goiânia.

O projeto é uma exigência do Iphan para obtenção do processo de licenciamento ambiental de empreendimentos econômicos de qualquer porte ou natureza sejam públicos ou privados para evitar que ocorram danos ao patrimônio arqueológico, ao desenvolvimento urbano e à ordem urbanística da cidade.

Os estudos preliminares mostraram que o empreendimento é de baixíssima potencialidade arqueológica e que não há risco de impactos negativos caso o empreendimento seja implantado. O coordenador geral do Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico do Loteamento Vista do Araguaia é o arqueólogo Francesco Palermo Neto, tendo como coordenador de campo o também arqueólogo Victor Alexandre Gomes de Brito e elaboração dos historiadores Ana Paula Moreira Pinto, Isabella de Faria Bretas, José Luiz Garcia e Weslley Moura.

Palestras no SINE

Nesta quarta-feira (7) e quinta-feira (8) os beneficiários com lotes do Loteamento Vista do Araguaia foram convocados a participar de uma palestra com a historiadora da Fundação Aroeira, Isabella Bretas, marcada para os períodos da manhã e da tarde na sede do Sistema Nacional de Empregos (SINE).

No evento eles receberam orientações sobre o que é considerado patrimônio cultural, visto que representam uma importante fonte de pesquisa e devem ser preservados, suas categorias e se envolveram numa atividade lúdica na qual desenharam o que consideram patrimônio cultural, seja ele material ou natural.

“Toda vez que ocorre um grande empreendimento, como esse loteamento, as pessoas, às vezes, tem contato com patrimônios históricos, como casas antigas, e patrimônio arqueológicos, que são vestígios deixados por pessoas que habitaram a região antes da gente. Geralmente as pessoas não tem noção de quanto é importante para história do local. Fazemos esse trabalho com curso e apresentamos peças que podem ser encontradas, porque se tiverem contato com essas peças para não descartarem. A ideia foi mostrar que é importante, tem todo um contexto histórico, explica a história da região e, dessa forma, podemos reconstituir a história de Alto Araguaia”, explicou a historiadora Isabella de Faria Bretas.

 

Informações à imprensa:
Marcos Cardial – Assessoria de Imprensa
Contato: cardialsouza@gmail.com
www.altoaraguaia.mt.gov.br
Fanpage: Prefeitura da Cidade de Alto Araguaia
Twitter: @prefaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar