PERUCHI
Destaques

Motorista atropela cachorro, o joga em caminhão de lixo e justifica: ‘Ele não sobreviveria’

A cidade de Presidente Figueiredo, no Amazonas, ficou conhecida em todo o mundo nesta segunda-feira por causa de um crime de maus tratos contra um cachorro. O animal foi atropelado pelo caminhão da empresa de coleta de lixo da cidade no ultimo dia 21 de maio e, em seguida, o motorista pegou o animal por uma corrente e o jogou dentro da caçamba do lixo.

Um colaborador de um blog de notícias da cidade, o “Portal do Urubuí”, registrou a ação em fotografias que foram compartilhada milhares de pessoas na internet, e acabaram estampando os sites dos principais jornais ingleses como o “Daily Mail”, “Daily Mirror” e “Metro”. Responsável pelo blog, Bosco Cordeiro, contou que também foi procurado pela imprensa americana. Na cidade, de 30 mil habitantes, o caso chocou os moradores:

— Todo mundo ficou chocado com o crime e com a reação do rapaz que continua tentando justificar o que não tem justificativa — disse Bosco, acrescentando que tentou entrevistá-lo, mas ele não demonstrou interesse.

O motorista jogou o cachorro na caçamba após Foto: Divulgação/ Raphael Rezende/ Portal do Urubuí. Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/motorista-atropela-cachorro-joga-em-caminhao-de-lixo-justifica-ele-nao-sobreviveria-16321871.html#ixzz3bvcB0DDo
O motorista jogou o cachorro na caçamba após Foto: Divulgação/ Raphael Rezende/ Portal do Urubuí.

Ao EXTRA, Jadson dos Santos, de 35 anos, disse, por telefone, que gosta de animais, e só colocou o cachorro na caçamba porque ele estava muito machucado e morreria.

— Eu voltei para ver como tinha ficado o cachorro, e na realidade eu vi que tinha estourado ele. As vísceras estavam saindo, e ele não ia sobreviver. Fui pegar ele para colocar lá atrás (do caminhão) e coloquei a corrente apenas como uma fonte de segurança para mim porque eu não podia pegar um cachorro da rua — justificou.

O motorista também contou que gosta de animais, e tem gatos e cachorros em casa.

— Eu jamais seria capaz de fazer o que estão falando, e está repercutindo muito e afetando minha imagem. Causou minha demissão, e não peguei o cachorro para triturar. Aquilo nem tritura lixo, só prensa, e na cabine não podia. Eu só peguei ele para deixar num local adequado que não ficasse no meio da rua para atacar ninguém. Ele estava sem condições — acrescentou.

Jadson, que é casado, foi demitido e afirma não ter outra fonte de renda para sustentar a família. Ele está contando com a ajuda de um advogado para se defender das acusações.

— Já está tudo explicado e deixei o cachorro num terreno. Ele não ia sobreviver e com dor qualquer animal fica agressivo — tentou justificar.

Do Extra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo