Peruchi Eletro
Destaques

MT-100 fica fora de pacote de obras de Mauro Mendes

MT 100 ainda apresenta trechos precários

Por Kayc Alves/ do Semana7

A rodovia estadual MT-100 não foi inclusa no pacote de obras autorizado, nesta quinta-feira (5), pelo governador Mauro Mendes. A razão gira em torno de questões contratuais mal resolvidas em obras ao longo da rodovia. O secretário adjunto de Obras Rodoviárias não confirmou a conclusão dessa demanda do Araguaia ainda para este ano.

Na ocasião do Fórum de Governo e Prefeituras, que começou na quinta, o governador anunciou a conclusão para 2019 de mais de 100 obras rodoviárias em Mato Grosso. Mas os quatro trechos em já licitados da MT-100 ficaram de fora e não possuem prazo para entrega.

Segundo o secretário adjunto de Obras Rodoviárias, da Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Nilton Brito, há três situações nas quais os contratos estão sendo rescindidos. No outro trecho, o governo deverá negociar uma redução de valores para que a construtora possa concluir a obra.

Entre Araguaiana e Barra do Garças, a construtora Ensa “não demonstrou interesse em executar a obra”, segundo o secretário, o que levou o governo a entrar com um processo de rescisão de contrato. A segunda colocada na licitação será convocada para construir uma ponte de concreto e um bueiro no trecho.

“Como tem esse problema para ser resolvido, ela não está nesse rol de obras autorizadas agora. Mas assim que a gente resolver, o governador automaticamente autoriza”, esclareceu Nilton de Brito.

O trecho entre Pontal do Araguaia e Torixoréu está passando por renegociações entre o governo e a construtora Sanches Tripoloni. A obra requer hoje um aditamento superior a 25% de seu valor, que é o teto permitido por lei. Por isso, a Sinfra deve tentar diminuir esse preço.

“São só 17 km, mas é uma obra vultosa e cara”, afirma. “Inclusive tem várias erosões e tem uma ponte para ser feita no córrego do Caixão.”

O trecho seguinte estava sob a responsabilidade da construtora Equipav, mas teve seu contrato rescindido. A empresa terá que devolver quase R$ 9 milhões aos cofres do estado. Agora o projeto será revisado para que o governo faça uma nova licitação.

Outro contrato que deverá ser cancelado é referente a obras no trecho entre Ribeirãozinho e Alto Araguaia. São cerca de 30 km que não foram tocados pela construtora contratada, a Ensa, e que devem ser objeto de nova licitação.

“É uma rodovia bastante problemática, mas nós estamos nos debruçando sobre ela para dar uma solução ainda neste ano. Não para concluir, mas pelo menos para ter uma solução de modo que ela possa andar, uma vez que é prioridade do governo”, destaca Nilton.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar