PERUCHI
DestaquesNotíciasTô Ligado

Reflexão sobre todos esses acontecimentos vivenciados durante essa pandemia. Por Madáh Cardoso

Foto: Madáh Cardoso

Em meio a situação que estamos vivendo, peguei-me a olhar esta foto que eu mesma tirei e refletir sobre todos esses acontecimentos vivenciados durante essa pandemia. Já dizia a canção que “A vida é trem bala prestes a partir”, penso realmente que a vida seja um trem, no qual temos que cumprir nosso trajeto não sabendo qual será nossa última estação e nem tampouco como será o caminho, o clima e a paisagem que nos aguarda.

Um trem tem que seguir, o destino é para frente e nunca para trás. Penso também que um trem não pode ser vazio, mas também não pode estar com uma carga excessiva. E agora é o momento especial para organizarmos a bagagem, para tirarmos aquilo que é inútil, que nos pesa, que não nos edifica, que impede os vagões de correr livremente pelos trilhos da vida e abastecermos daquilo que é Eterno.

Em meio a loucura que vivia a humanidade, todos nós tivemos que voltar para casa e essa expressão tem um sentido muito forte. É tempo de voltarmos para nós, para nosso interior, para nossa família, para nosso lar, para aquilo que realmente importa na vida.

É tempo de vivermos o principal e deixarmos tudo aquilo que é secundário e acessório, não de lado, mas no seu devido lugar.

É tempo de avaliarmos com muito amor quem são os passageiros que dividem essa jornada conosco e percebermos que não é uma carga e sim um tesouro valioso e deve ser tratado como tal. É tempo de perdão, de reconciliação, de amor!

E se o medo, a desesperança e a aflição vierem, basta lembramos que não estamos sozinhos e nunca estivemos, nosso trem tem O Maquinista. E suas palavras foram “No mundo tereis aflições. Mas tende coragem! Eu venci o mundo” (Jo, 16:33). Então por mais que possa parecer difícil e às vezes até assustador, devemos sempre confiar e repetir suas palavras e com Ele venceremos e cumpriremos nossa jornada da forma com que Ele sonhou para nós!

Que Deus nos abençõe e que possamos passar por esse percurso muito mais fortes e humanos!

Dedico esse texto à minha família e amigos!

Texto por Maria Madalena Cardoso Macedo Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar