PERUCHI
DestaquesNotíciasVariedades

Secretaria de saúde explica procedimentos realizados com paciente positivo para Coronavírus em Santa Rita

Foto: Marcos Cardial

A Secretaria de Saúde (SMS) de Santa Rita do Araguaia (GO) vem por meio dessa nota esclarecer, e tornar pública, os procedimentos quanto a  pessoa que testou positivo para o coronavírus.

Também ressalta que está realizando o acompanhamento da paciente e do seu companheiro que teve contato direto, sendo enquadrado como caso monitorado. A secretaria também realizou todas as orientações, além de se colocar a inteira disposição do casal, fornecendo todos os contatos da saúde.

 É importante salientar, que o paciente monitorado não apresentou nenhum sintoma do covid-19, não sendo necessária a realização de exames, já que é proibido pelos protocolos do Ministério da Saúde, a aplicação de exames em pacientes sem sintomas, devido a falta dos testes para a compra. Vale lembrar, que ambos assinaram o “Termo de Isolamento”, que vale até o dia 16 de maio.

A secretaria expõe que os resultados dos exames são apresentados primeiro para o paciente, e depois divulgado nas páginas oficiais da prefeitura, e pede que a população não compartilhe Fakes News, já que a prática é criminosa. Em caso de dúvidas, sempre procure fontes oficiais.

Acompanhe a ordem cronológica dos fatos:

Pela manhã da quarta-feira (6), a equipe municipal de saúde foi acionada pela equipe do Hospital de Alto Araguaia (MT), devido à entrada de um santaritense suspeito de covid-19.

A equipe dirigiu-se para o local onde tiveram uma conversa com a paciente, para saber o estado clínico e realizar as orientações dos devidos procedimentos de isolamento social e de higienização. Durante o diálogo, a mulher deu diversas versões sobre onde poderia ter contraído a doença.

Ao saber que a mulher receberia alta, os profissionais santaritenses da saúde pediram que a mesma aguardasse para ser levada pela ambulância, evitando assim, contato com outras pessoas, além de fornecer todos os telefones da SMS para que senhora procurasse, caso necessitasse.

O motorista da ambulância e a técnica de enfermagem vestiram os EPIs exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e foram buscar a senhora suspeita de coronavírus. Ao chegar no hospital, não encontraram a paciente, que saiu sem ser vista.

Logo após, o acompanhante da senhora procurou a UBS Joaquim dos Santos Borges, para entregar a documentação de alta. O senhor assinou ainda no local, o “Termo de Isolamento”, onde tomou ciência de que só poderia sair de casa após o dia 16 de maio, por ter contato com uma paciente suspeita de covid-19, sendo considerado um caso monitorado.

A vigilância epidemiológica foi acionada, realizando uma visita a família, e uma nova averiguação dos sintomas e orientações sobre os procedimentos de isolamento que deveriam ser adotados. Ao serem questionados quanto o atendimento, o casal informou que estava muito bem amparado, recebendo todo o atendimento que necessitavam. A paciente também assinou o “Termo de Isolamento”.

A paciente foi informada que a coleta do material seria realizada no dia seguinte, já que o exame é liberado pela Regional de Saúde conforme a notificação de casos suspeitos, e que o teste seria buscado em Jataí (GO).

Todos os procedimentos da quarta-feira (6) foram realizados antes das 12h, seguindo os protocolos da OMS.

Na quinta-feira (11), uma médica e uma técnica de enfermagem colheram o material e o encaminharam para o Laboratório Central do Estado (Lacen-GO), em Goiânia, sendo disponibilizando um motorista. Durante o procedimento, perguntou-se novamente o estado da paciente e realizou as orientações.

O resultado chegou a SMS no sábado (9) a noite, por e-mail. Uma equipe da saúde procurou a residência do casal pela manhã do domingo (10). Ao serem questionados, ambos informaram que estavam se sentindo bem. Foi explicado novamente ao senhor, que por ele ter contato direto com a paciente que testou positivo, continuaria sendo monitorado.

Também foi explicado que os exames são realizados em pessoas que apresentam algum sintoma, e já que ele não apresentou nenhum, não seria necessário, sendo inclusive proibido pelos protocolos do Ministério da Saúde, a aplicação de exames em pacientes monitorados.

Foi ressaltada a importância de ambos manterem o isolamento social até 16 de maio, tendo resistência por parte do casal.

Nessa segunda-feira (11), a psicóloga do município ligou para o casal pela manhã. Durante a conversa, foi realizado um atendimento psicológico, para tranquiliza-los. hoje (12), repetiu-se o procedimento, realizado uma nova ligação de monitoramento. O acompanhamento psicológico será realizado diariamente. Caso não seja possível realizar esse via telefone, a equipe voltará a procurar na residência do casal.

É importante ressaltar que a SMS se colocou a inteira disposição do casal, fornecendo todos os contatos da saúde.

Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar