PERUCHI
DestaquesVariedades

Já são 25 pacientes com suspeita de coronavírus em 12 cidades de Mato Grosso

Mato Grosso tem mais 10 notificações de casos suspeitos do novo coronavírus (COVID-19), levando a um total de 25 pacientes monitorados no Estado. A atualização consta da Nota Informativa da Secretária de Estado de Saúde (SES-MT), divulgada no fim da tarde desta quarta (18).

Os casos estão espalhados em 12 municípios de Mato Grosso. São eles,  Araputanga (4), Aripuanã (2), Cuiabá (6), Lucas do Rio Verde (1), Nova Xavantina (2), Rondonópolis (4), São José do Rio Claro (1), Sinop (1), Campo Novo do Parecis (1), Campo Verde (1), Ipiranga do Norte (1) e Cáceres (1) 

Amostras desses casos passam pela análise do Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen) — Foto: Tchélo Figueiredo/SES-MT

A secretaria estadual de Saúde, por  Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública, o COE-MT, não confirma nenhum caso de teste positivo para coronavírus no Estado.

Porém, dois hospitais privados – um em Cuiabá, outro em Rondonópolis – atestaram o diagnostico do vírus em dois pacientes cada. 

Segundo a SES, os hospitais privados em que estão internados os pacientes ainda não possuem capacitação e validação do Ministério da Saúde para confirmar os casos de COVID-19. Nem mesmo o Laboratório Central do Estado, o Lacen, possui a expertise para tanto.

A expectativa é que, na próxima semana, a unidade passe a confirmar por conta própria os casos de coronavírus em Mato Grosso, após passar por treinamento, conforme adianta assessoria de imprensa da SES. Explica ainda que, após coleta de material de paciente que deu entrada pelo SUS, o Lacen faz análise prévia.

Seu objetivo é descartar outras doenças – gripes comuns, H1N1 e demais tipos de influenzas. Caso dê positivo para estas doenças, o caso de coronavírus já é descartado de imediato. Mas caso dê negativo, o material do paciente suspeito segue para laboratório de referência nacional.

Já na rede privada, o procedimento não é diferente. As amostras serão divididas – uma será analisada na própria unidade privada, e a outra é enviada ao Lacen, que seguirá os ritos dos casos de SUS. A SES enfatiza que hospitais e laboratórios privados precisam passar por validação. Assim, as empresas que possuem tal certificação já têm autonomia para certificar os casos como oficiais.

O laboratório nacional ainda é o único capaz de confirmar os casos de coronavírus, de forma oficial, no país. Lá, eles fazem o teste e a contraprova para o COVID-19. Por conta da alta demanda, os resultados de confirmação podem demorar até uma semana para sair.

Fonte: RD NEWS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar