PERUCHI
Curtinhas do André da FMTô Ligado

Suspeitas de coronavírus disparam 293% em 3 dias e chegam a 59 casos em Mato Grosso

FONTE: RD NEWS

Secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, concedeu entrevista virtual, por meio de live nas redes sociais, na tarde desta quinta (19). Mais casos

Em três dias, o número de casos suspeitos de coronavírus (Covid-19) disparou 293%, chegando à marca de 59 em Mato Grosso. Desse total, 28 deles estão em Cuiabá e o restante espalhados em 21 municípios do interior. A afirmação é do secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, que concedeu entrevista virtual, por meio de live nas redes sociais, na tarde desta quinta (19).

No período, três pacientes tiveram teste positivo para doença, porém ainda depedendem de exame de contraprova, realizado por laboratório oficial, para entrar nas estatísticas do Governo do Estado.

Conforme informações da SES divulgadas durante a coletiva, foram contabilizadas em Mato Grosso 44 novas ocorrências suspeitas da Covid-19 desde o início da semana. Para se ter uma ideia, na segunda (16) eram apenas 15 notificações suspeitas. O número pulou para 59 nesta quinta. 

De acordo com o secretário da Pasta, Gilberto Figueiredo, a SES ainda aguarda o resultado dos 59 exames e ressaltou que cada teste segue um cronograma de entrega, baseado na data de coleta do material genético. Para ele, a demora na comprovação pode atrapalhar na condução da prevenção no Covid-19 no Brasil, já que os casos de Mato Grosso ainda não foram notificados oficialmente. 

“Gostaríamos de ter testes rápidos, nosso grande objetivo é diminuir a circulação de pessoas infectadas. A certeza depende do teste. O mundo não estava preparado [para a pandemia], faltam kits [de testagem], insumos e equipamentos”, avaliou. 

Gilberto ainda criticou a rede particular, que não teria comunicado o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) sobre os casos de suspeita do novo coronavírus recebidos pelas unidades. O Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, e a Unimed, em Rondonopólis, contudo, afirmam que o protocolo foi seguido. 

“A rede privada parece não se sentir obrigada a fazer notificações oficiais, procuramos o Ministério Público Estadual (MPE), nas promotorias de saúde, para notificá-los a seguir o protocolo no qual estão obrigados. Na suspeita de um caso, precisam comunicar o Cievs”, ressaltou. 

Segundo ele, o Lacen já está analisando casos oficiais notificados ao Cievs. O laboratório ainda tem como responsabilidade coletar amostras daqueles que tiveram contato com os pacientes suspeitos. Cada exame deve ficar pronto no período de 72 horas. 

O secretário reforçou a recomendação de que a população não procure unidades de saúde, a menos que sintam dificuldade respiratória. “Dos casos, 85% em media serão leves, 10% serão casos graves, desses, 5% precisarão de uma UTI. Nosso apelo à população é evitar circulação. Igreja, academia ou mercado. Você que ainda não adotou essa medida como comportamento, daqui para frente o faça. Isolamento não significa deixar de ir trabalhar para ir ao shopping ou cinema”. 

De acordo com Gilberto, a tendência é que, nos próximos dias, os pacientes com sintomas suspeitos da Covid-19 sequer sejam testados, já que o exame está em falta. A expectativa é de que os reforços da saúde sejam destinados àqueles que precisam de internação. 

Semanalmente, o Ministério da Saúde deve enviar cerca de 500 kits para os estados. Gilberto ainda reforçou que, tanto servidores, quanto outras pessoas que retornarem de viagem para áreas onde exista a transmissão comunitário do novo coronavírus, devem se isolar automaticamente para que não contaminem outros. 
Apesar de confirmar que a SES possui uma simulação sobre o número total de pessoas que serão contaminadas em Mato Grosso, o secretário não revelou dados nesse quesito e afirmou que a informação não é “significativa para a população”. 

De acordo com ele, o Governo já discute medidas de redução de jornada de trabalho e implantação de home office (trablho em casa). 

Onde estão os casos suspeitos de Covid-19

Segundo a SES, o maior número de suspeitas está em Cuiabá, somando 28, Rondonópolis contabiliza quatro, assim como Araputanga. Já Várzea Grande, na região metropolitana da Capital, tem três. Em Aripuanã, Cáceres, Campo Verde, Lucas do Rio Verde, Nova Xavantina e São José do Rio Claro foram registrados dois casos em cada município.

Campo Novo do Parecis, Ipiranga do Norte, Juína, Juruena, Poxoréu, Primavera do Leste, Sinop e Tangará da Serra, notificaram uma suspeita em cada cidade.

Assista a entrevista

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar