PERUCHI
Tô Ligado

Vereadores criticam presidente do TSE por defender eleições em 2020 e se articulam

Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, defende que os dois turnos das eleições aconteçam em novembro e dezembro; vereadores se articulam contra

União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (UCMMT) classificou como “barbaridades ideológicas” que estão sendo promovidas em nome da democracia e da constitucionalidade as declarações do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso. Isso porque, o ministro do Supremo afirmou em entrevista ao Roda Viva, nessa segunda (15), que as eleições municipais deste ano vão acontecer entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro.

As datas exatas da realização do primeiro e segundo turnos, entretanto, ainda não estão definidas. Segundo Barroso, a alteração está sendo discutida entre um grupo de especialistas em saúde, os presidentes da Câmara e do Senado e as lideranças partidárias.

“A data das eleições está marcada na Constituição, primeiro domingo de outubro, então qualquer alteração depende do Congresso Nacional. Conversei com epidemiologistas, infectologistas, biólogos, físicos especializados em cálculo de epidemiologia”, relatou.

De acordo com  Barroso, os especialistas preveem uma queda na curva de ascensão da doença entre agosto e setembro, portanto haveria a possibilidade de realizar as eleições na janela entre 15 de novembro e 20 de dezembro. Desse modo, será atendida uma preocupação do ministro e dos presidentes da Câmara e do Senado: a realização do pleito ainda em 2020.

“A Constituição veda uma segunda reeleição e cerca de 20% dos prefeitos já estão terminando o segundo mandato. Portanto, em violação à Constituição, daríamos um terceiro mandato a esses prefeitos”, avalia Barroso a respeito da hipótese de adiar as eleições para 2020.

Para a UCMMAT, a pandemia já prejudicou inúmeras filiações partidárias, principalmente para as chapas de vereador. Por isso, a entidade oficializou eletronicamente a Bancada Federal e o Congresso Nacional requerendo uma proposição para suspensão e adiamento das eleições 2020 e recentemente oficializou as Câmaras de Mato Grosso para que enviaram por escrito o seu posicionamento sobre o pleito deste ano.  .

“Não bastasse o fato de que os candidatos a Vereador no pleito de 2020 serão cobaias do teste da proibição de coligações proporcionais, com a Pandemia, o número de candidatos e partidos que disputariam as eleições municipais reduzirá ainda mais drasticamente, o alistamento, regularização e transferência de título efetuados somente pela internet diminuiu expressivamente o número eleitores que votarão esse ano. (…) A UCMMAT tem acompanhado diariamente as dificuldades dos pré-candidatos e está ouvindo cada relato por isso será realizado um novo pedido. A maior preocupação dos vereadores de Mato Grosso nesse momento é de  saúde pública vidas”, diz nota divulgada pela entidade. (Com Assessoria)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar